«Transformação», por Ramiro Torres

Para Miguel, Xavier, Moncho e Xulio, em nova fraternidade

Resides no obscuro que ilumina o saber-te aqui, música gravitante sobre os olhos desarmados no absoluto a fluir como rio dentro de nós, neste lado do existente submersos na serena transmutação do tempo em oceano, suspendendo-te no abraço primeiro da memória […]

Dois poemas no centenário da Primeira Grande Guerra

Uma guerra que começa com uma população a seguir o arame farpado da falsa democracia. Uma guerra que enche um carro de combate com a carne cega do proletariado. Uma guerra em que o povo carrega as poderosas metralhadoras do liberalismo. Uma guerra em que o Pai Natal troca renas por aviões para repartir bombas […]

Automático 29/03/2014

Começar a roer sem termo

como em uma deflagração óssea

que só incumbe aos planetas irados

que nos governam internamente,

internamente marcianos ou venéreos,

docemente mercuriais ou arrebatadamente plutónicos,

todos aplaudindo a dança que o sol e a lua

dedicam ao mundo enquanto parem satélites

entre a sucata estelar que defeca o progresso.

Cataclismos são […]

Fora do quirófano há um mar em calma

Je est un autre A. Rimbaud

Há momentos em que só devemos favorecer a nossa comunhão com o mar. A aceitação duma salinidade desprezada por séculos assim como essa benevolente maré que trabalha para nos derrubar os muros. Os muros que insistentemente construímos para isolar aquilo que mais precisa de contato […]

Exposición e recital no “Local dipoñible – Almacén cultural”

Revisión 17/12/2013: «O sábado 14 de decembro tivo lugar a primeira actividade dentro do proxecto Local dispoñible, almacén cultural. Case un centenar de persoas puideron desfrutar do recital de poesía dos membros do Grupo Surrealista Galego.

Xoán Abeleira comezou a súa intervención presentando o grupo e rompeu o xeo cun audio no […]